1/1

António Durval

Antonio Durval nasceu no Porto em 1938. Estudou na Escola Industrial Infante D. Henrique onde completou o curso geral dos liceus. Profissionalmente foi desenhador projetista durante 20 anos numa empresa de fundição injetada. Posteriormente, exerceu idênticas funções nos Serviços Municipalizados da Câmara de Matosinhos. Nesta autarquia esteve destacado durante algum tempo nas funções de secretário do Gabinete da Presidência.

Ao longo da sua vida sempre manteve uma intensa atividade cívica com destaque: a participação no MOJAF - Movimento Juvenil de Ajuda Fraterna, de 1963 a 1970; colaboração, entre 1965 e 1970, com o Centro Ramalho Ortigão, fundado pelo insigne pedagogo Dr. Ferrão Moreira, tendo participado na publicação do jornal juvenil “O Meu Amigo”.

Após o 25 de Abril fez parte dos órgãos autárquicos da Junta de Freguesia de S. Mamede de Infesta e responsável pela edição de diversas publicações da mesma.

Foi dirigente do Grupo Dramático e Musical Flor de Infesta durante mais de duas décadas e, alguns anos, o seu bibliotecário.

No início dos anos 90, António Durval foi um dos fundadores das Noites de Poesia do Flor de Infesta, dando a conhecer a sua poesia e a dos outros. Publicou o seu primeiro livro, “Discurso Direto”, em 1997, uma obra multifacetada onde a poesia convive, intimamente, com a prosa filosófica. Seguiu-se “Quem se interroga está vivo”, em 2006, pela Edium Editores, uma seleção de artigos publicados ao longo de três anos no jornal “Matosinhos Hoje”. Integrou as antologias: “Dezsete - Poetas de S. Mamede de Infesta”, 2006 e Antologia de Natal 2007” ambas pela Edium Editores. Também em 2007 pública “À Descoberta de São Mamede de Infesta” um trabalho de cariz monográfico encomendado pela Junta de Freguesia. Em 2018 foi o autor do livro comemorativo “Flor de Infesta 100 Anos”.

Colaborou no livro do Dr. João Torres Lima, “MOJAF – Movimento Juvenil de Ajuda Fraterna,1963-1970” uma edição do CITCEM - Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória da Universidade do Porto.

António Durval tem um longo trabalho dedicado à investigação do chamado fenómeno OVNI, tendo feito parte de várias organizações que se dedicaram ao assunto, designadamente o CTEC - Centro Transdisciplinar de Estudos da Consciência, da Universidade Fernando Pessoa, participando no livro “De outros Mundos”, organizado por Joaquim Fernandes.

Nesse âmbito, publicou em livro físico ou digital os seguintes títulos: “Uma hipótese à mesa do café”, 2014; “Sombra e Claridade”, 2015; “Prosseguindo”, 2019; “Aparecendo em Quarentena”, 2020; Para Além da Pandemia”, 2020 e “Contato Vertical”, 2021.