1/1

Manuela Bulcão

Rascunhos da alma… cartas de amor… desabafos… confidências... Este livro encerra em si tudo isto e muito mais, proporcionando a quem o ler uma viagem por um mundo próprio, com entradas, saídas e paragens. Umas obrigatórias, outras nem tanto. Por que às vezes, na vida, também é preciso saber parar, repensar, redescobrir o caminho e seguir em frente. (Alexandre Branco Gaudêncio) Os 45 textos que a autora denomina de Rascunhos da Alma são cartas de amor, que remetem o leitor para um mundo de diferentes abrangências poéticas, interiorizadas ou vividas pela autora. Ela pode chamar-lhes rascunhos, desabafos, sopros da alma, suspiros, carências, reflexões sobre o vivido e o sonhado. Porém, o que prevalece, é a utopia do amor e do sonho de o viver ou de o ter vivido, ainda que por momentos, em absoluta plenitude. (Margarida Santos) Ler os textos de prosa-poética de Manuela Bulcão é um encontro ou o re(encontro) que todos os dias os ilhéus fazem com a riqueza da natureza que nos rodeia, com a fragilidade da nossa geografia atlântica e com a interioridade que nos persegue dia após dia em busca do equilíbrio perdido que acompanha os tempos vividos com amor e paixão. (Jaime Manuel Serpa da Costa Rita) Ler a poesia de Manuela Bulcão é vaguear por mares de contradição, em águas revoltas de emoção, que a todos nos toca profundamente e nas quais todos nos revemos. Este carácter abrangente da sua poesia torna-a singular no seu percurso existencial e universal na sua dimensão humana. (Graça Castanho)

capa_rda_mb_seda_rjpg