• Gugol

Educar com os Olhos da Mente

Atualizado: 8 de Dez de 2020

Helena Isabel Rodrigues - Filipe Azevedo


Ouça a entrevista de Filipe Azevedo à rádio Antena Minho.



SOBRE A OBRA:


Duas pessoas cegas. Eles constituem um casal que decidiu abraçar a parentalidade de uma forma perfeitamente consciente e planeada.

Neste livro, eles relatam algumas das suas vivências mais marcantes deste percurso de vida: as estratégias que adoptaram para desafiar as condicionantes, os cuidados básicos como: o banho, a alimentação, a administração de medicamentos, o andar na rua, o brincar, e a socialização. Informações úteis sobre a deficiência visual, as suas ideias mestras sobre a parentalidade, os momentos mais marcantes destes últimos anos, o núcleo duro de amigos e família, em suma, abrem-se num conjunto de revelações intimistas que nos dão a conhecer as estradas que palmilharam até chegarem a este lugar inclusivo e feliz, onde não conseguem suster a alegria e o prazer transbordante por tudo aquilo que viveram até hoje.






SOBRE OS AUTORES:


Helena Isabel Rodrigues nasceu no 23º Sábado de 1983. Embora tenha nascido rechonchudinha, passou os seus primeiros anos de vida a lutar contra o mundo, pelo seu direito à sobrevivência através da simples ingestão de ar e vento. Quis o destino que 30 e alguns anos depois, a sua filha respondesse com a mesma moeda e a fizesse pagar bem caro essa ousadia, vingando assim os pobres pais de Isabel que na verdade viveram um tormento constante para alimentarem a sua filha. Uma prova viva que as dívidas se saldam todas neste mundo! É natural da freguesia de Este São Mamede, actualmente União das Freguesias de Este São Pedro e Este São Mamede, no concelho de Braga.

O facto de ser cega congénita não a impediu de fazer todo o seu percurso escolar no ensino regular, nem de viver uma infância em tudo idêntica à dos meninos da sua idade.

O resultado dessa sua infância, adolescência e juventude, foi o crescimento de uma grande árvore da vida já com vários frondosos ramos que se separam por vertentes muito distintas.

Profissionalmente falando, Isabel trabalha actualmente no Município de Braga, e pode dizer-se que é por direito próprio uma das portas de entrada da Câmara Municipal, na medida em que faz atendimento aos munícipes através do callcenter.

Na vertente cívica, está ligada à ACAPO, a principal Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal, desempenhando desde 2016 o cargo de Presidente da Mesa da Assembleia-Geral da delegação de Braga desta instituição.

No ramo que dá para a cultura e para o lazer, o contributo da Isabel deu-se num grupo de Teatro Amador, no qual foi actriz, grupo esse que teve em actividade durante vários anos, com um punhado de peças infantis, que foram exibidas por todo o concelho de Braga e não só. Este grupo teve a particularidade de ser constituído por uma dezena e meia de actores, todos eles com deficiência visual. Uma árvore bem constituída de uma mulher, mãe e cuidadora, profissional e cidadã de pleno direito, interessada pelas causas em que acredita.

A autora terá muito gosto em conversar com os seus leitores através do endereço: helena.isabel1983@gmail.com



José Filipe Azevedo tem muitos pontos em comum com Isabel, para além é claro da vida que ambos vivem e partilham à cerca de 12 anos. Também nasceu a um Sábado, 0 13º de 1981, o Sábado Aleluia daquele ano.

Faz parte dos órgãos sociais da ACAPO, é Secretário da Direcção da delegação de Braga.

Também partilha a mesma paixão pelo Teatro, pela representação e pela comédia.

Trabalha nos Transportes Urbanos de Braga.

Durante vários anos viveu a tempo inteiro da música, como instrumentista e cantor. Hoje continua ligado ao ramo, e em 2014 lançou o álbum A minha vida sempre em festa, um trabalho integralmente constituído por letras e composições do próprio autor.

Alimenta diariamente uma das suas grandes paixões, a escrita. É detentor do blogue sociolis, onde partilha as suas reflexões sobre a corrente dos dias: www.sociolis.blogspot.com

Tem um outro blogue alojado no Portal Lerparaver, o histórico portal de referência sobre a deficiência visual em Portugal, onde nos dá a conhecer as suas reflexões sobre tiflologia em geral, e publica as intervenções públicas que realiza na sua qualidade de dirigente associativo: www.lerparaver.com/filipe

Participa activamente em vários projectos sobre tiflotecnologia (tecnologia adaptada a pessoas cegas e com baixa visão).

É autor de diversos artigos publicados em blogs e revistas temáticas sobre a cegueira e baixa visão. É proprietário do blog Cego Divertido, um projecto humorístico sobre a deficiência visual, que pode chocar sobre tudo as pessoas que se limitam a ver com os olhos da cara: www.cegodivertido.blogspot.com

Neste blogue, Filipe Azevedo é autor de praticamente todos os textos, que representam para si uma espécie de terapia para lidar com as situações do dia-a-dia, e que lhe reforçou a convicção que o sentido de humor é das melhores e mais úteis características que um ser humano pode ter.

O autor terá muito gosto em conversar com os seus leitores através do endereço: filipecanelas@gmail.com

60 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo