• Gugol

Ornamentação de escrita por Carl Philipp Emanuel Bach

Isabel Calado


Lançamento:

Segunda-feira, 9 de dezembro - 19 horas

Conservatório de Música

PORTO














Sinopse

A génese e evolução da ornamentação ao longo da História da Música Europeia, assim como da sua sinalética, é um tema complexo. No presente livro, Ornamentação descrita por C. P. E. Bach, o foco reside na descrição da ornamentação deixada por este compositor em meados do séc. 18. E, por isso, apresento os ornamentos descritos por Carl Philipp Emanuel Bach no seu Versuch über die wahre Art das Clavier zu spielen (Ensaio sobre a verdadeira arte de tocar instrumentos de tecla), cuja primeira parte foi publicada em 1753 e a segunda em 1762, de uma forma sintética, assim como apresento uma breve comparação entre a ornamentação de C. P. E. Bach e a ornamentação na obra de outros autores setecentistas.















Sobre a autora Isabel Calado, intérprete de cravo, clavicórdio e pianoforte. Apresenta-se regularmente como solista e integrada em diversos grupos de música de câmara e orquestras em concertos em Portugal, Espanha, França, Reino Unido, Estados Unidos da América, Singapura e Japão. Das orquestras com as quais trabalhou destacam-se a Orquestra do Algarve, a Orquestra do Norte, a Orquestra Com.Cordas e a Orquestra Barroca de Nagoya (Japão). Dos grupos de música de câmara com os quais trabalhou destacam-se o Musica et Tempora, o Ensamble dos Biscaínhos e a parceria de longa data com o tenor, residente no Reino Unido, Márcio da Rosa.

A sua discografia inclui os seguintes CD’s: Canções Populares Portuguesas e Canções Populares Portuguesas 2 em parceria com o tenor Márcio da Rosa e Sonatas Prussianas de C. P. E. Bach, Probestücke de C. P. E. Bach, Huitiéme et Douziéme Ordres de F. Couperin e Toccatas, Sonatas e Minuetos de Autores Portugueses do século XVIII a solo. Também gravou Sonatas de D. Scarlatti no único cravo português original de 1758 da autoria de J. Antunes que sobreviveu até hoje e que se encontra no Museu da Música em Lisboa, Portugal. As Sonatas de D. Scarlatti foram gravadas no âmbito do projeto internacional designado Maratona Scarlatti.

Paralelamente à atividade performativa leciona cravo e baixo contínuo no Conservatório de Música do Porto. Desde 2015 tem lecionado regularmente masterclasses de cravo e de música de câmara em Nagoya, Japão.

Relativamente à sua formação: estudou cravo na escola na qual atualmente leciona, o Conservatório de Música do Porto; concluiu a licenciatura bietápica em Música, variante instrumento e ramo cravo na Escola Superior de Música de Lisboa em 2006; o Mestrado em Ensino da Música na Escola das Artes da Universidade Católica em 2011 e o Doutoramento em Ciências Musicais, Especialidade Ciências Musicais Históricas pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas em 2016 com a tese: Interpretação dos Sinais de Ornamentação e Sugestões para as Cadências nas Sonatas Prussianas de C. Ph. E. Bach.

Aperfeiçoou conhecimentos com intérpretes de cravo de renome como: Carole Cerasi, Terence Charlston, Jacques Ogg, Ilton Wjuniski, Ketil Haugsand, Rinaldo Alessandrini, Giorgio Cerasoli, Laurence Cummings, Sieber Henstra, entre outros. Recebeu em 2005 um prémio de mérito atribuído pelo Instituto Politécnico de Lisboa.

16 visualizações